quinta-feira, 28 de novembro de 2013

Cheiro de DEUS...

 
 

Um vento frio dançava ao redor da noite, enquanto o médico caminhava pelo
pequeno hospital em direção
ao quarto de Maria, ainda meio tonta por causa da anestesia. Seu marido, Pedro, segurava sua mão, esperando pelas últimas notícias da cirurgia. Naquela tarde complicações tinham forçado Maria, com apenas 24 semanas de gravidez, a sofrer uma cesariana de emergência, trazendo ao casal a nova filha, Carol. Mas as palavras do médico caíram como uma bomba sobre eles:
                  - Não acredito que a criança sobreviva, há apenas 10% de chance dela passar dessa noite. Entorpecidos e incrédulos, Pedro e Maria escutaram o médico descrevendo os problemas que Carol enfrentaria se sobrevivesse. Ela nunca andaria, não falaria, provavelmente ficaria cega, e estaria entre a paralisia cerebral e o total retardamento mental.
                    Durante a madrugada, enquanto a vida de Carol estava por um fio, Maria, entre um sono e outro, via crescer a ideia de que sua minúscula filha viveria para ser uma menina feliz e saudável. Mas Pedro, plenamente acordado, sabia que deveria convencer sua esposa do inevitável. Disse então, que eles precisavam conversar sobre o enterro. Maria, sem querer ouvir o marido, ignorava o que ele dizia. Como Carol estava muito fragilizada, mal podiam tocá-la ou levantá-la para demonstrar seu afeto e que estavam ali esperando que fosse curada. Tudo o que podiam fazer era orar, pedindo a DEUS que ficasse perto daquela menina tão querida e preciosa. Com o passar das semanas, Carol ganhou um pouco de peso e força. Quando completou dois meses, seus pais puderam dar-lhe o primeiro abraço. E dois meses mais tarde, embora os médicos continuassem a advertir que suas possibilidades de sobrevivência eram remotas, Carol foi para casa, assim como sua mãe acreditava que aconteceria. Hoje Carol é uma menina com insaciável amor pela vida. Ela não demonstra sinal de qualquer dano mental ou físico.
                    Numa tarde, Carol estava sentada nas arquibancadas de um estádio, assistindo ao jogo do time de João, seu irmão. Como sempre, ela falava sem parar com sua mãe, quando de repente, deixou-se cair silenciosa, com a cabeça encostada no colo da mãe e perguntou:
                    - Está sentindo este cheiro?
                    - Sim, cheiro de chuva – respondeu a mãe. Carol fechou os olhos e novamente perguntou:
                    - A senhora está sentindo este cheiro?
                    - Sim, acho que vamos nos molhar, é cheiro de chuva.
Carol sacudiu a cabeça e falou:
                    - Não, é o cheiro DELE, é o cheiro de DEUS que eu sinto quando coloco a cabeça próxima ao seu coração. Emocionada, Maria viu nas palavras da filha a confirmação do que ela e toda a família já sabiam desde o início. Durante aqueles longos dias e noites dos seus primeiros meses de vida, quando seus nervos eram por demais sensíveis para que a mãe pudesse tocá-la, DEUS segurava Carol contra Seu peito e deixava no coração de Carol, o Seu perfume de amor, o qual ela jamais esqueceria.



Você ainda acha, que JESUS não pode fazer o impossível na sua vida? Faça esta experiência, se lance nos braços de JESUS e veja quantos milagres acontecem com você!
DEUS transforma o impossível em POSSÍVEL...Sinta você também o CHEIRO DE DEUS...


Extraído do livro: Momento de Fé
 
Padre Marcelo Rossi - Ano 2004
 
Editora Novo Rumo

Esta outra bela e emocionante história também poderá lhe interessar:

O Vôo dos Gansos...

 



Quem sou eu

Minha foto

Faço pintura em tecidos crochê entre outros.Amo o que faço...